sábado, 10 de agosto de 2013

Novela

- Já começou uma novela nova e a gente nunca mais se viu.
- Achei que você não quisesse mais me ver.
- Por que eu faria isso?
- Deve ser o que se sente quando alguém faz o que você fez, vai embora sem se despedir e não liga depois.
- Eu estava confuso. Não sabia o que você esperava de mim ou o que queria. Eu errei.
- As pessoas costumam obter respostas quando estão dispostas a fazer perguntas.
- Senti sua falta.
- Eu também. No começo. 
- Não sente mais?
- Não sei. Sinto falta do que achei que teríamos. 
- Eu também, me desculpa por isso. Queria tentar outra vez.
- Quando você não voltou, eu passei dias tentando entender qual foi o passo errado, onde eu deixei escapar o que eu tanto cuidava ou por que alguém simplesmente se esquece do que antes dizia ser tão importante. Descrevi inúmeras cenas, desenvolvi fórmulas que explicassem o que eu não sabia justificar. Pensar que eu fui o culpado mesmo que parcialmente não adiantou. Porque eu estava disposto, eu sim quis enfrentar tudo de frente, não ser mais um adolescente bobo que bota tudo a perder quando se sente inseguro.
- Eu não posso mudar o que fiz, mas agora também estou disposto a fazer dar certo.
- Fico feliz por você ter amadurecido. Mesmo que eu quisesse não conseguiria não te desculpar. Não deixo sentimentos ruins se manifestarem por muito tempo em mim.
- Então nós vamos fazer isso juntos outra vez?
- Você e eu já deixamos de ser nós há algum tempo. Mesmo sendo diferente não vou voltar a algo que já teve seu fim. Tudo tem um prazo de duração, até mesmo o amor. E o nosso acabou.
- Eu ainda te amo.
- Eu também,  mas o que nos uniu quebrou e só o amor não vai ser o bastante. 
- Eu ainda posso te ver?
- Não acho que vai ser possível.
- Por que? 
- Estou indo viajar.
- E quando você volta?
- Eu não volto. 

- Memórias Públicas

Nenhum comentário:

Postar um comentário