sábado, 6 de abril de 2013

Página em branco

Durante algum tempo fiquei insatisfeito comigo mesmo, achando que eu era culpado por não ter ninguém, por não me sentir como antes sentia. Durante um certo tempo alimentei uma solidão enorme dentro de mim. Embora folheasse diversas páginas no livro dos relacionamentos, me apegava apenas a uma vírgula ou no máximo a uma reticências do contexto da pessoa e transformava isso e parágrafos que justificavam a minha falta de interesse. Arrumei desculpas, transformei pingos em rabiscos que não me deixavam ver o que queriam me mostrar, tudo isso porque não entendia o que realmente queria. Porque na verdade o que eu queria era ser página em branco, livre, apenas ali esperando a hora que assim meio que sem perceber, alguém pudesse começar a escrever e quando eu me desse conta tempos depois eu estaria sendo história. 

- Memórias Públicas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário