terça-feira, 14 de agosto de 2012

No fim de tarde

"E no fim das tardes era que a dor se tornava insuportável. Exatamente naquele momento em que o sol se escondia, naquela hora em que a porta da sala já não se abria mais. Onde o silêncio não era mais interrompido. Naquela parte do dia meu peito se esvaziava como se nem o ar ocupasse mais espaço. Se nenhum abraço apertado de saudade, nenhum sorriso de alegria por estar juntos novamente. Naquele momento o meu relógio parava por horas todos os dias."

Nenhum comentário:

Postar um comentário