sexta-feira, 29 de junho de 2012

Odeio flores

- Eu odeio flores.
- Mas por quê? São tão bonitas.
- Elas são ingratas. A gente cuida, observa e fica encantando com sua beleza e logo depois elas morrem. Odeio que me abandonem.
- Mas essa é a beleza delas, isso é que as fazem especiais.
- Você já foi abandonado? Não há beleza alguma nisso.
- Nem todos se vão. Eu estou aqui, não estou?
- Está. Mas todos os dias eu tenho medo de acordar e você ter ido.
- Eu não vou a lugar algum. Não sem você pelo menos.
- Você me ama?
- Tanto que chega a doer. Por que você tem tanto medo?
- Porque só me deram motivos para isso até hoje.
- Então vou te mostrar como ser diferente.
- Só não solta da minha mão.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ele espera

Todo os dias ele acorda cedo para esperar. Espera sem saber se ele vai chegar. Todo dia gasta horas pensando no que ele fez, se conheceu alguém, se si divertiu. Todos os dias faz sempre o mesmo, para ninguém comentar. Todos os dias no fim da tarde fica triste, chora e pede para que ele volte. Todos os dias tem a mesma resposta. Todos os dias diz as mesmas coisas, que sente saudades, que nunca amou ninguém dessa maneira e que vai esperá-lo. Todos os dias ele espera, mas cada dia a mais ele tem menos certeza.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Memórias Públicas no Facebook

Curtir Aqui