quinta-feira, 3 de maio de 2012

Gosto dos dias de chuva

Eu gosto dos olhos dele. De um castanho tão vivo que faz inveja a qualquer tom de azul.
Eu gosto dos lábios dele. Como ele os morde quando está constrangido. Como eles se movimentam quando ele fala. Mas gosto principalmente quando esses mesmos lábios me beijam.
Eu gosto da sua falta de atenção, desproposital, como ele observa o mundo. Como algumas coisas parecem nem lhe afetar.
Gosto da calma que tem a voz dele. Do tom baixo e de como fica roca facilmente.
Eu gosto do seu cheiro.
Gosto da sua desorientação pela manhã. Gosto de vê-lo lendo seus livros.
Gosto do seu gosto no fim da tarde. A fumaça que sai do chuveiro. Gosto da sua pele quente.
Gosto dele nos dias de chuva, de como ele sempre arruma uma desculpa para continuarmos na cama.
Eu gosto do andar dele, dos seus passos sempre tão confiantes, mesmo que não esteja confiante por dentro.
Gosto dele como em uma fotografia antiga, a luz amarelada me esconde todos seu defeitos, é como se nem existissem.
Gosto dele como em uma música, me envolve no seu som e nada mais importa e nem me distrai.
Gosto dele sinestesicamente, mesmo só vendo posso senti-lo, mesmo só  olhando posso toca-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário