terça-feira, 10 de abril de 2012

Por algum motivo

Por algum motivo, que eu ainda não descobri qual, acreditei que seríamos aquele casal de capa de revista.
Eu sonhei que poderíamos ter uma casa aconchegante, com uma cozinha grande e aberta para recebermos nossos amigos. Por algum motivo que eu não consigo justificar eu acreditei em um final feliz, em um bobo final de novela.
Imaginei uma cama grande embaixo de uma janela de cortinas claras, onde toda a manhã o sol nos acordaria.
Imaginei um quintal de grama verde baixa, e paisagismo minimalista. Imaginei passar as noites de preguiça na sala jogando War. Rir de nossos defeitos. Fazer planos para o final de semana.
Imaginei, olha bem como sou bobo, imaginei nós dois frente a frente, arrumando um a gravata o outro, para uma ocasião especial. Nossos tênis de correr num canto perto a porta da frente.
Por algum motivo - perdido - eu acreditei que nós estaríamos sempre juntos, de mãos dadas.
Em alguma parte desse curto caminho eu acreditei que meus pés se cansariam de tanto andar ao seu lado.
E mesmo sem saber - ou mesmo sem ter motivos alguns -, eu planejei, tive esperanças, tive sonhos. Por algum motivo que eu mesmo desconheço, dentro de mim, por esse motivo, mais uma vez eu me iludi.


Um comentário:

  1. Incrível tamanha sensibilidade. Me surpreendo sempre e cada vez mais.

    ResponderExcluir