quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Às vezes o melhor a fazer é deixar ir

Às vezes amar pode ser muito difícil. Às vezes amar quer dizer abrir mão. Nem sempre ter por perto pode ser o melhor. O amor às vezes machuca tanto que o melhor que nós podemos fazer é nos afastar dele.
Quando o sentimento é forte demais e um de nós não consegue suportá-lo, só fará o outro sofrer.
Nós nunca deixamos de amar ninguém, amor nunca acaba, amor não envelhece, amor não se esgota, não cansa, mas amor muda, se transforma, o amor amadurece e encontra outras maneiras de se manifestar.
O amor não dá pra entender.


Quando a gente ainda se ama, mas não quer se ter por perto, o que quer dizer isso? Como é possível? Quando a gente quer tanto o bem de uma pessoa, quer que ela seja feliz, que realize todos seus sonhos, mas não quer estar com ela para compartilhar, o que isso significa? Quando tudo que você faz durante o dia te lembra alguém, te faz sentir saudades, mas mesmo assim você só quer isso como um boa lembrança, o que isso pode ser?
O meu amor não tem fim, eu nunca deixei de amar ninguém que foi importante e ainda é em alguma parte da minha vida, só que eu entendo que isso não foi o suficiente, não houve outros motivos para manter essa s relações de pé. Amor é fundamental, mas amor não suporta todas as coisas, não mantém tudo vivo embora esse mesmo amor não morra nem deixa morrer.
Amor não é nada mais do que uma bagunça, um jogo que na maioria das vezes só tem perdedores. Uma brincadeira que só faz chorar.
Às vezes amar é tão difícil que o melhor a fazer é deixar ir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário