sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Não há nada que ele não possa fazer

"Quando eu te conheci você era encantador. Você realmente sabe o que fazer, sabe provocar e ao mesmo tempo tem um olhar tão doce e um sorriso que toma conta do lugar. De longe eu te via andando e pensava: esse cara de ter o mundo nas mãos, passos largos porem calmos parece não se preocupar com nada. Sempre de óculos escuros, rindo com seus amigos como se nada o afetasse. Tive que beber muito para poder ter coragem de falar com você, dessas bobagens que  gente tem né, as pessoas não mordem. Você foi tão simpático, desfez toda minha insegurança, me apresentou à todo mundo, rio do meu jeito errado de fazer as coisas. Aí veio a convivência, e eu pude perceber que a imagem de vida perfeita que eu tinha de você, não existia. Seus medos e inseguranças se mostraram tão evidentes. Como se sempre estivesse  fugindo de algo e correndo atrás de alguma coisa. Você é a pessoa que mais tem capacidade de amar que eu já conheci, mas por algum motivo se esconde disso. Você é tão engraçado, tão vivo mas tem medo que as pessoas percebam. Seu mundo é muito cheio, suas vontades são muito grandes, logo sinto que o espaço para mim é apertado demais. Seu melhor amigo já tinha me avisado: não há nada que ele não possa fazer, mas seu maior defeito é que simplesmente escolhe não fazer. Parece que sempre está te faltando algo. E eu já não sei o que fazer."
E depois de ter dito tudo isso, enxugou com uma das mãos o rosto e foi embora sem nem ter me dado tempo de respirar. Meu coração estava tão apertado que doía, meu olhos estavam tão cheios de lágrimas que já nem podia enxergar. Eu não conseguia dizer nenhuma palavra, nem pensar em nada. Por aquele instante o meu mundo tinha acabado. E eu só consegui deitar encostado na cama e no chão mesmo dormir.

♪ Ouça: Nobory's Perfect - Jessie J

Nenhum comentário:

Postar um comentário