sábado, 26 de novembro de 2011

Como um grito ao vento

O tempo passou rápido, há alguns meses eu jamais poderia imaginar que poderia conhecer a paz outra vez. Meio dramático, eu sei, mas quando se está perdido é difícil imaginar onde é o caminho que leva à saída. Depois de tanto choro, depois de tantas tentativas falhas, ligações que nunca foram atendidas, emails não respondidos, eu não poderia imaginar que tudo estaria bem agora.
Tantas coisas se passaram pela minha cabeça nesse tempo, de tantas maneiras tortas eu tentei me ocupar, esquecer e tentar novamente. Foram tantas as tentativas e tantos os erros que nem me fizeram dar conta do tempo indo.
Muita coisa mudou, você não está mais aqui e suas lembranças começam a ter outro peso.
O tempo não foi capaz de curar todas as minha feridas, nunca será, tem coisas que não podem ser mudadas. Como um asfalto fino sobre buracos na estrada, logo na primeira chuva forte fica tudo aberto outra vez.
Eu vi muitas das coisas que eu acreditava serem fundamentais para mim escorrendo como água pelas minhas mãos, e como gritos ao vento desaparecerem.
Ficou tão difícil acreditar em promessas, por mais que eu queira.
Mas o tempo, o tempo passou rápido, eu senti saudades, eu senti raiva e senti solidão. Agora sinto que já deu, para onde tudo isso me trouxe é onde estou e é daqui que eu devo agora partir para onde eu decidir ir.




Ouça: Stronger Than Ever - Christina Aguilera

Nenhum comentário:

Postar um comentário