terça-feira, 19 de julho de 2011

Divagando em terceira pessoa.


Já passava das 11h da manhã, o quarto já estava quente, mas ele não queria levantar. Rapidamente pegou o celular, mas nenhuma ligação, nenhuma mensagem. Ele sentia um vazio, só queria dormir.
Na sua cabeça se questionava, o por quê mais uma vez estava sozinho. Seu namorado, agora ex-namorado tinha ido embora sem dizer uma palavra, estava magoado, esgotado, cansado de todo o tempo que gastou tentando concertar o relacionamento.
Ele chorou mais uma vez, repassou como em um filme, com uma trilha sonora melosa, todas as brigas que já tiveram, buscando uma explicação para que mais um vez sua cama estivesse vazia.
Todo o amor acabou? Toda a intensidade de tudo que haviam vivido simplesmente havia diminuído? Mais uma vez estava sem respostas. Não queria admitir que poderia ter culpa, já estava sofrendo tanto, para aceitar a verdade. Ele precisa de tempo. Precisava pensar.
O que ia fazer com todas as lembranças? E todos os planos, o futuro que estava desenhado com os dois juntos? As fotografias o que fazer com elas?
A família, depois de tudo que havia passado para assumir o namoro, como dizer que agora tudo tinha acabado?
Ele tinha inúmeras perguntas, uma dúvida imensa. Ele estava perdido, e não sabia como pedir ajuda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário