quinta-feira, 28 de abril de 2011

O cara que eu era quando você me conheceu


Acho que esqueci do que eu realmente queria, talvez de quem realmente eu era.
Depois de te perder, depois de tudo que eu perdi, eu tentei desesperadamente preencher o vazio que eu sentia.
Me carregava de exageros para diminuir a falta que em mim doía.
Eu sinto que me esqueci, esqueci de me amar, esqueci de ter esperança. Esqueci de tudo para de todas as maneiras acabar com a minha dor.
Por noites inteiras de excessos de todas as coisas. De manhãs acordadas em camas desconhecidas, de saídas silenciosas em pontas de dedos para não acordar a minha companhia passageira. Ter que encarar outro que não fosse você que estivesse comigo depois da ressaca me dava tanto medo.
Todas as desculpas, todas as ligações não feitas, todos os números na agenda do meu celular, que hoje são apenas nomes em ordem alfabética, sem nenhum rosto a ser lembrado. Todos os não jantares.
Toda tosse seca de cigarro, todas as roupas novas para impressionar pessoas que eu não me importava. Toda fuga realidade, para tapar o buraco da saudade que eu sentia.
Tudo que eu fiz foi me perder, tentando achar o que estava faltando, tentando achar em todos ou em qualquer um você que eu sabia que não podia estar mais comigo.
Hoje eu percebo, que dos excessos que não me mataram não sobrou nada além do mesmo vazio, da mesma saudade, da mesma dor.
Então eu decidi mudar, porque se tudo que eu fiz não resolveu, talvez nada resolva, então voltei ao começo. Já não existe mais aquela inocência que você dizia ser linda, eu amadureci, conheci coisas que antes eu não conhecia, se tentasse te-la novamente seria uma mentira.
Mas no resto, estou voltando a ser como antes. A ser o cara que eu era quando você me conheceu.

Um comentário: