terça-feira, 14 de setembro de 2010

Amor ou criatividade?


Hoje eu percebi que já não sei mais quase nada sobre coisas que julgava ter sob controle. É incrivel ver como nós passamos muito tempo formando opiniões, criando filosofias ou seguindo algumas que nos identificamos, procuramos justificar para nos consolar sobre tudo que achamos estar nos faltando, para do nada, simplismente da noite pro dia esquecermos tudo e cometermos os erros que nós mais condenamos nas pessoas que nos cercam...

Às vezes são situações que nos forçam a engolir nossas resoluções de vida e nossas convicções, às vezes é uma única pessoa que chega, não pede licença, atropela todos nossos planos, ocupa um enorme espaço no nosso dia, esgota todo nosso poder criativo, exige toda a nossa atenção e nos joga no meio de uma tempestade...

E depois a única coisa que nós conseguimos pensar é 'onde está eu? onde está tudo que eu acreditava? do que eu preciso agora?'
E não conseguimos achar respostas para nenhuma dessas perguntas, só vemos aquele bloqueio criativo, latente na imaginação em forma de uma grande parede branca vazia!
E ainda assim nossa cabeça e coração estão apenas concentrados em uma única pessoa.

Com certeza não faço parte do privilegiado grupo de pessoas que usam o amor como fonte inspiradora de criação, comigo ou é um ou é o outro, minha criatividade, não sabe conviver com a paixão, elas brigam e se sufocam.

Mas no fim há de se achar um meio. Um ponto exato onde haja equilibrio, onde tudo possa funcionar junto, porque eu da minha parte não abro mão de nada. Não abro mão da criação e nem do amor. Quero tudo para mim. Egoistamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário