segunda-feira, 25 de maio de 2009

Não justifico

Já não quero o que antes queria. Já não gosto do jeito que seria.
Também não vivo como se espera, e não sigo por onde recomendam.
Às vezes corro, mas sem sentido, às vezes grito no silêncio de quem me ouvia.
Já não sirvo para o que antes me servia.
Também não minto, e não justifico meus enganos.
Às vezes vivo, outras vezes só existo.

Um comentário:

  1. "Às vezes vivo, outras vezes só existo."

    Quebrar regras, ser diferente do igual, vestir um número maior de roupa, como uma criança que veste os chinelos do pai... vida é mudança.
    E é incrível como a vida sempre continua.

    ResponderExcluir