domingo, 3 de maio de 2009

Escolhas


Você pode ter o cuidade helênico na descrição de suas palavras, ou acreditar que tudo é futilidade. Você pode escolher com quem andar, ou apenas acompanhar alguém que esteja passando. Pode ter a tradição de muitos anos ou seguir a tendência contemporânea. Você pode escolher, é preciso. Não se pode ficar ao centro, na metade ou mais próximo, deve-se ter a coragem necessária para a escolha, seja ela qual for. Mesmo que isso não faça diferença, pois a linha do certo e do errado não é fixa. Depende de onde você está olhando. O censo comum por muitas vezes não existe. Os padrões, esses são variantes e como tais não valem por muito tempo e o que nos define são nossas escolhas ou a falta delas.

2 comentários:

  1. Sinto mais em mim a "falta das escolhas", do que elas, depois que são feitas, propriamente ditas.

    ResponderExcluir