terça-feira, 24 de março de 2009

Quem sou eu?

Espero nunca poder chegar a esta resposta em definitivo, não que eu não saiba quem sou, talvez saiba, mas não fixamente. Quero ser livre para mudar sempre que cansar de mim mesmo. Quero ter a mente sempre aberta a tudo que é novo, e que se prove verdade. Quero sempre mais do que já existe, não por ganância, mas por uma vontade descomunal de abraçar o mundo com as pernas. Quero que os padrões em mim não tenham vez. Que o preconceito se desvie ao me ver bem distante. Quero uma alegria que contagie a todos. Uma paz que acalme o mundo. Mas também quero a disposição necessária para fazer alguma diferença, não talvez para o mundo inteiro, mas pelo menos para aqueles que me cercam. Quero tudo que estiver disponível, quero o que não estiver também. Quero novas respostas, quero ir buscá-las. Quero novos caminhos. Equilibrando as descobertas com as lembranças do que já sei. Quero construir, mas se for preciso quero demolir, acabar com o que não serve para dar lugar a coisas úteis. Eu quero muito mais. Como já dizia C.L. liberdade é pouco, o que eu quero ainda não tem nome. (humildemente parafraseando)

2 comentários:

  1. Me magoa não ter conhecido esse teu lado "escritor"! A não ser que diga que não é tu que escreve. Se for, vou continuar magoada! haha

    ResponderExcluir