domingo, 1 de fevereiro de 2009

só a paz


Talvez eu encontre a paz em um lugar que eu não esteja procurando, que casual como um tropeçar eu caia sobre ela. Talvez haja um lugar onde as diferenças e a personalidade sejam valorizadas. Onde os direitos sejam respeitados. Que todos possam pensar por si só, e que não sejam mais um brinquedo de corda programado para repetir ideias feitas. Quem sabe nesse lugar ninguém precise lutar para ter a consideração de alguém. Quem sabe nesse utópico lugar de loucos a família possa ser uma escolha e os amigos parte dela. E todos poderão ser e fazer tudo que quiserem, e não sentir culpa alguma por isso. Que a frustração e o cansaço não sejam maiores que a vontade de mudar. Que a luta e os erros não acomodem ou acostumem à injustiça. E que parar e recomeçar seja parte de mais uma escolha e não um retrocesso. E não haja quem baseado em velhos conceitos moralistas diga que algo é impossível ou ilícito. Mas que essa moralidade falsa seja substituída por novos pensamentos baseados na liberdade, igualdade, respeito e lealdade, que muitos ainda insistem em suprimir com o preconceito.


http://www.youtube.com/watch?v=dUyHdqdEonk

2 comentários:

  1. porra, cara achei irado seus textos, bem escritos mesmo! abraço

    ResponderExcluir
  2. Nossa... a parte sobre os amigos fazerem parte da familia x)

    ResponderExcluir