sábado, 24 de janeiro de 2009

contra cansado e cheio

Depois de gritar tanto, de conversar, de sussurrar, ficou calado. Depois de lutar contra todos, de lutar sozinho, de lutar contra si mesmo, ele parou. Defendeu enquanto aguentou. Suportou enquanto pode suportar. Depois por um momento observou. Não tinha dado em nada, não era nada. Depois de tanto esfoço, resolveu parar. Agora ele apenas anda sem direção, mas também não anda contra. Agora ele apenas fala, mas sempre no mesmo tom. Agora ele dedica sua força, sua mente, sua vontade à nada. Cansado, ele se rendeu. Sozinho não pôde dar conta.

Às vezes eu me canso... Na boa quero desistir de pensar de me indignar, mas não consigo...
Aí nessas horas, eu paro (para pensar) e decido continuar, as minhas revoltas e as minhas derrotas não significam quase nada, mas mesmo assim eu continuo, mesmo que ninguém as leiam.

Se conformar já é aceitar as coisas como são e se tornar igual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário