domingo, 15 de maio de 2016

Ontem

Ontem eu fiz uma faxina, dessas de tirar as gavetas e de organizar as camisetas por cores. Eu limpei, joguei os cigarros fora e tudo que faz mal, e acho que sem querer joguei suas memórias fora também. Tirei todos os quadros da parede, alguns queimei, outros troquei de lugar. Dei as roupas que eu não usava mais, liberei espaço. Foi difícil, no meio de toda aquela bagunça tive vontade de apenas deitar e dormir em cima de recordações, enquanto eu carrega os sacos de lixo para baixo, a cada degrau eu me questionava se era a escolha certa, se eu realmente queria me livrar de tudo aquilo. Me mantive firme, engoli o medo e sequei o choro. Deixei tudo pronto, uma casa velha nova. Tem espaço na sala de estar, para uma nova vida nasça.
Por fim, ontem quando eu fiz uma faxina eu joguei fora tudo que não era eu.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

o mundo inteiro

Eu queria o mundo inteiro, mas o mundo não me queria. Ele me deu só uma pequena parte, tão pequena que me sufocava, toda vez que eu fugia dessa minha parte, o mundo vinha e me devolvia ao meu lugar. Para não dizer que era duro demais comigo, me deixava sair algumas vezes ao ano, por pouco tempo e quando eu insistia em ganha-lo ele me punia. Pude ver mares de norte a sul, montanhas tão altas que meu olhar não alcançava o topo, pude voar entre as nuvens e nadar em águas quentes e claras. Puder ver prédios e construções e até conhecer um pouco do se esconde na noite, mas sempre com hora marcada para voltar.
Eu queria o mundo inteiro, mas o mundo me queria por inteiro.

- Memórias Públicas

domingo, 18 de janeiro de 2015

Deixe leve

Você tem andando tão cansado, parece que perdeu interesse. Sinto falta dos seus: "eu não vou fazer isso", agora tudo "pode ser" ou "tanto faz". Eu sei que essas últimas semanas tem sido pesadas, tantos tombos e tantos tropeços de uma vez só, também sei que é difícil olhar para frente com otimismo, mas meu amor, tudo isso é tão pequeno perto do que já passou e tão insignificante perto de tudo que ainda nem começou. Sempre quis poder te proteger de tudo, eu sofro tanto de te ver sofrer, minha única obrigação nessa vida é te fazer feliz e quando você não está, sinto que fracassei. 
Nunca deixe que te façam duvidar por um minuto do que você é capaz, você é capaz de muito, só precisa perceber e acreditar nisto. Você tem o sorriso mais bonito que eu já vi, ah meu amor, se soubesse como ilumina tudo quando está feliz. Sua voz é tão calma, poderia te ouvir falar a noite inteira. Se soubesse como é lindo te ver fazendo planos, suas viagens, seus sonhos, sua vontade de ser e de estar em vários lugares ao mesmo tempo, se pudesse ver sua necessidade de conhecer tudo que existe, se pudesse perceber sua força, sua coragem. Você só está assustado, está com medo e isso é normal. Você não está sozinho, nem mesmo se quisesse poderia.
Meu amor, amanhã quero que acorde cedo, tome seu suco de laranja, seu café da manhã com calma, sinta o frescor de uma manhã de primavera, abra janela, olhe para o sol. Quero que o seu primeiro pensamento seja em como tudo pode ser diferente, basta você querer. Faça tudo que tiver que fazer de manhã, resolva os problemas cedo, descansado, racional. Não deixe que nada estrague seu dia, problemas existem e sempre existirão, quando não puder resolvê-los, deixe-os guardados para quando tiver chance. Tenha um almoço maravilhoso, vá aquele nosso restaurante favorito, como salada, deixe tudo leve, do seu prato a sua alma. A tarde cuide de você, se dê um tempo, vá academia, vá correr, leve nosso cachorro para passear. A noite se quiser prepare um jantar, com calma, com amor, pensando em agradar a pessoa mais importante da sua vida. Olhe para a lua, abra um bom vinho, se livre da culpa, se permitir só lhe fará bem. Troque os lençóis, acenda um incenso, agora durma meu amor, descanse, outro dia logo vai chegar e você precisa estar inteiro para isso. 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Desperte, meu amor

Mas este sempre foi seu problema meu amor, esperar demais. Você tem que entender que o mundo como você imagina só existe dentro da sua cabeça. A vida real é esta que está aqui fora, com pessoas reais, que não são perfeitas, que não sabem seus filmes preferidos, nem a cor que mais combina com seus olhos. Meu amor você precisa dizer o que sente para que as pessoas saibam. Talvez você deva parar de ver esses romances na sessão da tarde, se você disser não ao amor, ele não irá atrás de você no aeroporto, não adianta ensaiar o olhar complacente que você fará ao ouvir seu nome. Relações são feitas de trocas, trocas de interesse, troca de tempo, troca de vontade, vontade que você só tem, mas não compartilha.
Ah meu amor, se eu pudesse te ajudar, se eu pudesse ser esse cara que puxa conversa com você no parque, que dá a mão para te ajudar a levantar quando você cai de patins. Como eu queria ser o cara que divide o fone de ouvido só para saber qual são suas músicas favoritas. Se pudesse ser eu quem te leva até em casa, meu amor, por tudo eu seria.
Pare de se culpar tanto por suas escolhas, encare-as, sofra se for preciso, passe por isso e se levante. Pare de culpar o mundo pelo que você não consegue, tente mais. Desperte meu amor, abra os olhos da sua mente e cresça. Todo rompimento dói, mas todo recomeço vale a pena.
Acabe consigo mesmo e depois se reconstrua. Seja forte meu amor, depois você vai ver que a vida é mais simples do que você pensa, existem cores que ainda precisam ser descobertas, todas as estradas levam a algum lugar, mas você pode escolher a mais ensolarada.

Memórias Públicas

terça-feira, 8 de julho de 2014

"Depois de tudo para o nada. Tanto grito para o silêncio. Tanta briga para a paz. Colecionar para não ter. Tanto erro para nenhum acerto. Tanto conteúdo para página em branco. Tanto correr para descansar. Tantos primeiros para nenhum ser último. Tanto soneto sem nenhum rima. Quanta melodia e pouco ritmo."

Memórias Públicas

Cronômetro

Um dia você acorda e percebe que mais um aniversário está chegando, aí se pergunta, pra onde foram os 365 dias do ano que você não viu? Percebe que mais um ano sua cama está vazia, que já não tem paciência para o que antes achava interessante, não quer mais perder tempo, é como se um cronômetro disparasse dentro de você  te fazendo pensar em tudo que queria fazer e  quando vai conseguir.
Depois de um certo tempo você se torna mais seletivo, pensa na ressaca de amor e de vodca barata que vai ter no outro dia e não é tão fascinante tomar um porre. As pessoas e as bebidas precisam ser de melhor qualidade.
Escolhe melhor os lugares onde quer ir, se vai ter fila deixa o verão para mais tarde.
Começa tentar lembrar de onde e porque as pessoas que estão ao seu redor vieram.
O trabalho vai cada vez tomando mais espaço na sua vida e você começa a procurar em todo lugar uma bobagem a toa que lhe faça sorrir.
Você percebe que o que você procura neste alguém que nunca é o alguém certo, são apenas ilusões e que esse alguém nunca vai existir se você não parar de inventar e apenas viver.
É uma mistura amarga e doce, de realidade e vontade, como se tudo que passou fosse apenas um ensaio, que o pra valer começa agora, e não vai mais parar. Só o intenso interessa, só o que é cheio, o que a qualquer minuto vai transbordar.
Aí você também percebe que na verdade o que você quer na real é se jogar de cabeça, de deixar qualquer medo e insegurança pra trás, é ir atrás e se bater a cara, levanta e começa correr de novo.
Você descobre que o que você mais quer na vida é viver, tudo que for possível.

- Memórias Públicas

domingo, 29 de dezembro de 2013

Escolhemos

"Mas de todas as coisas que poderíamos ter sido um para o outro, tão cedo escolhemos ser lembrança. Um sorriso discreto e um acenar com a cabeça ao cruzar a rua. De tudo que poderíamos ter tido, escolhemos o último pensamento antes de dormir, deitados separados. E, de todos os caminhos que poderíamos ter percorrido juntos, os paralelos foram o que tomamos, aqueles lado a lado que nunca se cruzam."

- Memórias Públicas

Nublado

"Faça tempestade ou seja sol, só não fique indeciso, o nublado me incomoda."


- Memórias Públicas